O website da Quinta Vale D. Maria recorre a cookies para otimizar a sua experiência de navegação. Ao navegar no nosso website, estará a concordar com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies.

pt
Deve ter idade legal para entrar neste site.
Ao clicar em entrar, está a confirmar que tem a idade legal para consumir bebidas alcoólicas no seu país.

Vale D. Maria Douro Superior

2017
International Wine & Spirits Competition: 90 pontos
Revista de Vinhos: 16 pontos

2017 caracterizou-se por um ano extremamente seco e quente. O ciclo vegetativo adiantou-se significativamente, fazendo com que a vindima na Quinta Vale D. Maria se tenha iniciado no dia 21 de agosto com as uvas brancas, e a 26 de agosto com as uvas tintas. Esta foi a vindima mais precoce de que temos memória. Em 2017 não houve muita precipitação. Durante os meses de junho, julho e agosto registaram-se temperaturas muito elevadas, o que levou a um forte stresse hídrico, térmico e luminoso, condicionando a produção da videira. Ainda assim, verificou-se um aumento de produção face a 2016, mesmo não tendo havido o aumento inicialmente esperado. No nosso tapete de escolha, houve muito pouca rejeição de fruta, dado 2017 ter sido um ano de muito boas condições fitossanitárias. A concentração nos bagos, devida ao calor e falta de água durante o período de maturação, acelerou o amadurecimento dos bagos, e resultou em mostos de grande complexidade e qualidade. 

Origem das uvas: Elaborado a partir das castas Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, entre outras, encontradas nas encostas do Vale do Rio Sabor e do Rio Douro na sub-região do Douro Superior. As vinhas têm idades entre 20 a 35 anos. 

Vinificação e envelhecimento: Na Quinta Vale Do Sabor, em aço inox durante 7 a 12 dias a temperaturas controladas entre os 22º C e os 27º C. Estagia em barricas de carvalho francês de 2º e 3º ano, durante 6 meses. Seguido de um estágio em cubas de aço inox nos restantes 13 meses. 

Notas de prova: Vale D. Maria Douro Superior tem fruta vermelha presente no nariz, onde imperam aromas a amoras, morangos e cereja preta. Na boca o vinho é aveludado, mantendo a força e concentração típica dos vinhos desta sub-região. O vinho ganha volume e os aromas a frutas enchem-nos o palato. O final é longo, terminando ainda de forma fresca. 

Idealmente harmonizado com pratos  de carne e ainda bacalhau no forno.

Detalhes Técnicos

Acidez Total
5,2 g/l
Teor Alcoólico
15.0% vol
Açúcares totais
0,9 g/l
pH
3,81
Engarrafamento
Junho 2019, em 10,000 garrafas de 75cl.

Enólogos

Cristiano van Zeller
Joana Pinhão
Manuel Soares
David Ferreira

Ficha técnica

download pdf

Conheça mais vinhos na nossa enoteca

ver mais vinhos