O website da Quinta Vale D. Maria recorre a cookies para otimizar a sua experiência de navegação. Ao navegar no nosso website, estará a concordar com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies.

pt
Deve ter idade legal para entrar neste site.
Ao clicar em entrar, está a confirmar que tem a idade legal para consumir bebidas alcoólicas no seu país.
Sobre nós

Ambiente e Sustentabilidade

A simbiose perfeita com a natureza assenta na sustentabilidade. Acreditamos que a consistência na qualidade passa por uma viticultura sustentável. Essa é uma das nossas prioridades, possível através da dedicação e savoir-faire de uma equipa.

O reflexo de uma viticultura sustentável, que respeita o meio ambiente e o terroir, através de práticas como os enrelvamentos com espécies gramíneas e leguminosas, promove uma proteção contra a erosão e, em simultâneo, o aumento da fertilidade e vida dos solos; a plantação de espécies arbustivas e arbóreas na bordadura das árvores, promovendo a descontinuidade da vinha e intercalando assim os corredores ecológicos; a recuperação da água da chuva, da maior importância se atendermos às alterações climáticas e ao facto do Douro ser uma região onde a água é um bem escasso

“O respeito pelo terroir e pela sustentabilidade dizem-nos muito. Todos os projetos que temos vindo a desenvolver são pensados numa ótica de longo prazo”

António Azevedo Guedes, CEO e descendente da 5.ª geração da família fundadora da Aveleda

Acreditamos que a consistência na qualidade passa por uma viticultura sustentável.

Assim, a mecanização continua a ser exceção na Quinta Vale D. Maria aquando das vindimas. É realizada uma vindima manual das uvas e estas são pisadas a pé, durante cerca de três dias, nos tradicionais lagares de granito da propriedade. A sustentabilidade avalia-se pelo equilíbrio que conseguimos atingir nos nossos ecossistemas vitícolas. Um equilíbrio entre o solo, a vinha e o espaço envolvente. Para tal, promovemos o desenvolvimento de vida no solo através de lavouras, enrelvamentos, entre outros, para que as raízes das videiras se possam desenvolver da melhor forma.  

Paralelamente, trabalhamos a envolvente das vinhas, com outras espécies de árvores – oliveiras, laranjeiras, medronheiros, entre outros – criando zonas de descontinuidade na vinha, fundamentais para se desenvolver a fauna auxiliar – refúgios de biodiversidade. Quando tudo funciona em harmonia, atingimos o equilíbrio que nos permite intervir cada vez menos nas vinhas, sem nunca perder a sua componente de viabilidade económica.  

Efetuamos regularmente análises às vinhas com recurso a drones para termos indicadores de vigor, stress hídrico e podermos perceber quais são as zonas onde necessitamos de intervir.

Na Quinta Vale do Sabor, recuperamos toda a água da chuva para charcas que serão, de seguida, utilizadas para a rega da vinha.